Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

Contento-me com pouco e sou muito exigente, todos concordam que nunca me contradigo.


Os ramos de flores não são nada para além de flores, não têm mensagem além duma morte que tenta roubar a vida e a beleza. Não me dizem nada, não têm valor.


Quando a minha mão se esquece do caminho para a tua mão, é só a memória dos malmequeres pousados na almofada que me agarra aqui, que me agarra a ti quando quero ir - e eu quero sempre ir, sair, voar. Os malmequeres que nunca passaram do papel são o sonho mais real que nunca deixou de ser sonho. Não quero ter-te aqui, não quero que fiques. Tu és do chegar, eu sou do partir.


O horizonte nunca é aqui, é sonho a perseguir, porque, sabes bem, é pelo sonho que vamos, que eu vou, tenho de ir.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.