Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

A Princesa vai falar de si própria na 3ª pessoa. A ver se se distancia o suficiente para racionalizar melhor.





A Princesa acordou cheia de calor, com vontade de procurar um ombro fresquinho ali ao lado. As pálpebras relutantes eventualmente despegaram-se. Só a almofada.





A boa notícia. Respirar fundo. Vontade de correr a contar. Calma, já dizes.





Nevoeiro em redor. A visão turva com o nevoeiro que fazemos. O calor dissipa o nevoeiro, mas calor demais também deturpa a imagem. Outra vez a importância da temperatura certa. A Princesa lembra-se de muitas coisas boas, mas essa talvez fosse a melhor qualidade do Princeso. O que pensará ele agora? No meio do nevoeiro, certamente. Deixá-lo...





Corpo dorido. O dia de ontem foi exaustivo, a cidade em zig-zag com responsabilidades e pesos às costas, com cordéis a roerem os dedos, mais pesos pendentes. Emoções várias, a rodopiar, os medos, as ansiedades, prazos, tic tac.


 


Relativização. A boa notícia pode ser afinal a pior. Esperar é tortura... Aproveitar a falha nas precisões alheias para arranjar coragem e espreitar. Tivesse a Princesa dois corações e estaria um a pular pela boca.