Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

(e azedo, dirão alguns), que vem mesmo a calhar. É que eu gosto mesmo de limões e limonadas e é mesmo o ideal para combater a oxidação (inserir piada sobre blogue ferrugento).


 


Custa muito, pá, mas cá vão 11 factos sobre a minha pessoa:



  1. Não gosto de pimentos nem de pessoas.

  2. Deixei recentemente de acreditar no Amor e temo que seja mesmo definitivo.

  3. As coisas que mais gosto de fazer e me fazem feliz per se são viajar, fotografar e aprender.

  4. Sou metade ciência e metade arte, metade racional e metade esoterismo, metade números e metade letras, e não concebo a vida doutra maneira.

  5. Não só não tenho parafusos a menos (apesar do que pode parecer), como tenho parafusos a mais.

  6. Adoro aviões, balões, pára-quedas, pára-pentes, planadores e tudo o mais que implique voar, e adorava ter sido pilav.

  7. Já fiz várias coisas que passei anos a jurar que nunca faria (como filiar-me num partido político, por exemplo).

  8. Só há uma bebida alcoólica que não bebo de todo, e creio que perdi a capacidade de ficar "etilicamente alterada".

  9. Já fui improvavelmente feliz e miseravelmente infeliz, e a distância entre os 2 estados é tão pouca que se torna ridículo.

  10. Continuo a amar amigos que já perdi.

  11. Se pudesse, mudava muitas coisas em mim.


 


E as respostas às perguntas cítricas: ;)


 



  1. Qual a pessoa que melhor te conhece? A minha amiga Amarguinha do coração. Nem é preciso dizer nada.

  2. Qual o piropo mais engraçado que ouviste? Não sou o tipo de rapariga que desperta piropos, nem que os retenha na memória...

  3. Nunca sais de casa sem...? Banhoca tomada, toda perfumadinha, baton hidratante, óculos de sol, chaves.

  4. Qual o som/musica/toque que tens no teu telemóvel? Uma cena oriental muito zen (e o canto dum passarinho que ficou mudo).

  5. O que é que te tira do sério? Mas mesmo, que até chega a causar-te urticária? A estupidez, pá. Injustiças. Erros ortográficos. Lambe-botas. Incoerências. As MENTIRAS, ui!

  6. Qual a última vez que riste até chorar? Esta tarde. Os meus ataques de riso são muito maus, e quando estou desvairada da cabeça sucedem com alguma frequência (deve ser para exteriorizar, já que não admito lágrimas sem riso quando está mais gente em volta). Toda a gente ri e passa em frente, e a boa da Ventania continua a rir, a rir, a rir, as lágrimas a cair, a barriga a doer, é até faltar o ar.

  7. O que é que nunca perguntarias ao teu/tua namorado/a? Eu pergunto(ava) sempre demais, as coisinhas mais estapafúrdias e todas as que constam da cartilha de assuntos tabu e que é melhor nem saber. Yeap, that's me, tiros no pé são habituais.

  8. Onde gostarias de ir nas próximas férias? Ahahah. OK, cá vai: Rússia, Paris, China, Malásia, Vietnam, Tanzânia, Quénia, África do Sul, Rio de Janeiro, Nova Iorque, Islândia, E.U.A., Canadá, Austrália, Hungria, Tailândia, Japão... :D Sou muito pouco esquisita.

  9. Que acham das calças coloridas? Está na moda... Para mim não, obrigada (fidelidade absoluta aos jeans). Mas pode funcionar.

  10. O teu blog é segredo teu ou os teus amigos conhecem-no? Os amigos muito muito muito amigos conhecem, mas é suposto ser 'secreto'. Mas a maior parte deles também não liga puto aos meus devaneios.

  11. Se tivesses a carteira tão recheada como o Ronaldo, o que comprarias já, já? Um bilhete round-the-world, claro. Sem pensar duas vezes. ;)



Vou perverter as regas*, não faço perguntas nem nomear ninguém, é o sirva-se quem quiser (e salve-se quem puder). ;)


*leia-se regRas, sou toda a favor das regas (moderadas em terrenos de sequeiro), as regras é que me lixam.

Todos precisamos dum momento Calimero every now and then. Tentar ser e tentar parecer sempre invencível, inabalável, forte, solid as a rock, o pilar de tudo e todos, a postura sempre recta e sem fraquezas é uma merda.


As pessoas começam a esperar que nos aguentemos a tudo, que sejamos sempre os bombeiros de serviço nos cataclismos, ainda que sejamos os primeiros a levar com o tecto em cima. Se passamos a imagem de super-homens e super-mulheres, não devemos levar a mal quando os outros se sentem defraudados se só nos apetece ser o banal fraquinho e incapaz.


Porra, não tenho condições de ser super-mulher agora, ok? Não aqui, que é a minha casa, em que ando descalça. Não tenho sempre um sorriso nos lábios, não sou sempre optimista e de momento a atitude positiva está a hibernar. Também sinto, também me vou abaixo, também choro, mesmo que não deixe ninguém ver. Sofro e reservo-me o direito de sofrer aos berros, estou farta de morder a língua e puxar-me pelo cachaço até dar a volta por cima. Estou-me nas tintas para o facto de ser mais ou menos interessante aos olhos de alguém, não preciso nem quero agradar a ninguém, não ando à procura de nada, não quero conhecer pessoas porque não gosto de pessoas, as pessoas fazem-me mal e o que eu quero é esquecer metade das pessoas que já conheci.


 


Estou de mal com a vida sim, tenho motivos de sobra e estou no meu direito.