Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

Não sou grande adepta das coincidências, o meu hiper-racionalismo não me permite. Desde miúda, divirto-me a encontrar padrões e relações (em grande parte, numéricas/matemáticas) em tudo quanto deito a mão, ou os olhos. Ele é para arranjar mnemónicas, ele é para estimular as sinapses, ou simplesmente porque sim, acho giro, ok? (Já sei, croma, nerd, etc. e tal. Sim, com muito gosto!) Quando era criança, nas viagens de carro, o alvo eram as matrículas dos automóveis. Agora, mais crescidinha, aplica-se também em factos da vida (e se a minha está pejada de supostas coincidências!), e vejo não raras vezes padrões astrológicos coerentes. Isto para dizer que, nem com todo o meu cepticismo, me resigno a considerar a astrologia uma farsa. É arrogante de nossa parte achar que tudo o que não sabemos explicar não é real, até porque quando se começa a explicar o que quer que seja são mais as perguntas do que as respostas. E se a Lua influencia algo de tão visível como os ciclos menstruais e períodos de gestação dos humanos, talvez não seja de todo descabido aceitar que exista uma relação entre posições de outros astros em certos momentos e traços de personalidade (manifestações genéticas, quiçá?). Olhando em redor, é-me impossível não admitir que há um padrão em certas coisas. Por exemplo, o retorno de Saturno. (Google it.) Atrevam-se a pensar nisso a frio, é só o que proponho.


Outra curiosidade, e quem me conhece pode atestar. Cerca de 45% dos meus amigos (e Amigos) são do signo solar de Caranguejo. Os outros 45% dos amigos (e Amigos) são Touro. Dou-me muito bem com Leões e o entendimento com Escorpiões dispensa palavras, é quase telepático. E intensamente fogoso. E estímulos intelectuais a rodos (já o disse, o grande turn-on). Três homens absolutamente extraordinários, admiráveis e a roçar a perfeição (sob os meus parâmetros distorcidos). Duas paixões arrebatadoras, inundadas de admiração, nunca abalada, e uma ‘coisa’ maior que tudo, de dentro do mais fundo da alma até ao infinito e mais além. Os Gémeos masculinos têm uma estranha envolvência que me alicia. Encontro-lhes demasiados defeitos, são uns presunçosos, dissimulados, pouco directos, interesseiros. Mas gostam de mim, que eu sei. E fazem-me querer acreditar no que dizem. Dois (ex-)namorados e uma fling com weirdest first date ever incluído. E zangas, e discussões. E um desejo (pequenino, a instalar-se) que saia um convite em breve... ;)


 


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.