Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

Estou devastada. Não estava preparada para esta terrível perda e, muito honestamente, não sei se estou preparada para viver num mundo sem Saramago, sem Cunhal, com tudo o que tem acontecido neste miserável século XXI, e agora também sem Cohen. Não sou de sentimentalismos, sobretudo sobre artistas, por muito icónicos que sejam, mas hoje chorei e ainda não percebi bem porquê. Não sendo surpresa que Leonard Cohen ocupa desde e para sempre um lugar de eleição de entre as minhas referências incontornáveis na música e na literatura, estou chocada com esta dor, esta saudade antecipada que me carrega a expressão. Está a fazer-me falta talvez a fé, porque seria seguramente apaziguador acreditar em outra coisa que não na finitude. Não sei se será até sempre, mas enquanto estiver por cá, Cohen será um dos "meus" imortais.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.