Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

pululam teorias na minha cinética neuronal que chegavam para 20 longas-metragens à la Hollywood, mas eu sou mais indie e por isso faço um só filme perturbador e indecifrável que mantenho apenas na cabeça, não me vão internar num hospício por onde a massa não passe no refeitório. E a massa, como os homens, faz falta para degustar e desequilibrar a saúde. E por massa refiro-me a noodles, que é onde todas as estórias se cruzam, e só por pratos de noodles poderia resumir a minha triste existência nos braços do género masculino. Em pacotes ou artesanais, todos mais ou menos iguais, mais ou menos integrais. Depois é o que se faz com os temperos. Eu gosto deles simples, mas com manjericão fresco e nozes (também pode ser cajus). E parecendo que não, mais ninguém que tenha comido à mesma mesa fez essa escolha.


 


 



 


 


 


(Fortemente inspirado pela imagem da Lady oh my Dog a dar na koka)

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.