Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

Passou um beijo, passou uma hora. A seguir outra e muitas mais, e o beijo esquecido não retorna. Errou o destino, esqueceu-se de travar, galopou por cima de todas as boas intenções e aterrou com ambas as patas em nenhures. Do beijo que nasceu suave soltaram-se faíscas de cascos nas rochas tristes, nasceu um eco mudo que atravessou o (meu) universo e espezinhou a autoconfiança. Sangue? Algum, espesso, derretendo-se longamente sobre as fendas e os poros, coagulando, envergonhado de existir.





O vento anda, corre e voa!

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.