Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

Nunca desisti de nada na vida. De nenhum sonho, de nenhum objectivo. Alguns concretizei, outros mudei, e outros ainda estão por atingir. Mas atirar a toalha, nunca. E parece que estou a ser coagida pelas maiores circunstâncias da vida (aquelas que não podemos contornar porque não está nas nossas mãos nada que as possa mover) a, conscientemente, contra tudo o que sou, desistir duma coisa que quero mais do que alguma vez quis. O que torna tudo mais difícil: uma estreia, um falhanço, e logo o maior possível. Não sou crente, pelo que não posso pedir ajuda a forças divinas. E era preciso qualquer coisa como um milagre para esta situação se inverter e eu não ter de desistir. Seria tão mais fácil a derrota, mas para ser derrotada teria de haver uma 'luta' que, no caso, não pode haver. Eu bem que fiquei no ringue, de luvas calçadas, mas a dar murros só no ar. O adversário baldou-se; fiquei sem saber se por pena de me deixar KO, ou por medo de "levar no focinho".


Sinto-me uma idiota perdida e presa dentro de mim, impotente e vã.


Como desisto de ser quem sou sem desistir de mim?


 


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.