Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

Ventania

Na margem certa da vida, a esquerda.

origem

Corre-me Tejo nas veias. Reflexos de Sol e Lua ondulantes. Gaivotas a anunciar vida e bulício. Os barcos, de todos os tamanhos, povoam-me o imaginário. Cresci com eles em pano de fundo, brinquei e sorri neles. Sobre o Tejo durmo, como, sonho, trabalho, choro, morro. O Tejo tem uma música própria, ritmada pelas ondas e marés. Fico transtornada, diria deslocada até, quando me afasto por muito tempo do complemento líquido do meu ser. Saberei viver sem o Tejo a longo prazo? Veremos...


2 comentários

Comentar post